sábado, 27 de junho de 2015

Sonho intenso

A pátria amada esteve em prantos diante das atitudes de seus filhos. A mãe lhes ensinou o amor, e em contramão, seus filhos acolhiam o ódio. No teu seio, há amores; enquanto alguns filhos fogem à luta. Essa terra adorada é onde seus filhos deveriam amar uns aos outros sem distinção de religião, cor, gênero ou condição sexual.

A liberdade cantarolada em seu hino parece ser uma utopia. O céu não está tão formoso e, tampouco, risonho, pois os irmãos encontram-se em conflito. De um lado, uns lutam com braços fortes a favor da igualdade. Outros, contrariando o progresso registrado em nossa bandeira.

Mas por que o Brasil de amor eterno ainda busca tanto uma definição para “família”? Por que há a necessidade em crer na existência de um conceito, sendo que é impossível definir algo de tamanha multiplicidade de significados? O que se passa em um lar não diz respeito a ninguém além dos que ali habitam.

Agora é o momento. Está nas emissoras de rádio e TV, nos jornais e revistas, nas rodas de conversa. É a hora de mostrarmos a força de nossos braços, lutando pela igualdade. Lutando contra aqueles que, ao invés de nos proteger, querem nos privar dos nossos direitos. Lutando contra aqueles que, ao invés de nos respeitar, querem nos reprimir.


Os herdeiros da mãe gentil não querem que você seja contra ou não. Eles querem que você abrace a bandeira a favor da felicidade e do respeito às liberdades individuais. O sonho intenso é a paz no futuro, e o sol mal vê a hora de iluminar esse Novo Mundo.

_____________

2 comentários:

  1. Bicha, senhora é destruidora mesmo, ein, viado!

    ResponderExcluir
  2. A senhora lacrou mesmo!

    ResponderExcluir